User-agent: Mediapartners-Google* Disallow: .comment-link {margin-left:.6em;}

Dentaria

Tudo sobre Dentaria!! Relatos de experiências, partilha de links etc etc...Tudo o que achar interessante e tenha a ver com Medicina Dentaria, na óptica de um dentista.

terça-feira, novembro 13, 2007

Sistema de Limas Protaper, Protocolo Buchanan

O sistema de limas Protaper da Dentsply-Maillefer é dos mais usados internacionalmente e várias maneiras de serem usadas estas limas rotatórias de níquel-titânio estão descritas em livros e artigos.
As limas estão divididas em Shaping Files e Finishing Files e ordenadas por código de cores. Roxa S1, Branca S2, Amarela F1, Vermelha F2, Azul F3. Sx ou lima acessória é também amarela.
Shaping existem as Sx, S1 e S2
Finishing existem as F1, F2, F3 e mais recentemente as F4, F5 etc.


O protocolo talvez mais aceite para a utilização do sistema Protaper é o protocolo Buchanan que achei neste site e passo a descrever:

Realizar um bom acesso coronário. Permitir um acesso em linha recta aos condutos.
Irrigar os canais.

Trabalhar os 2/3 coronários:

Começar com uma lima K 10 e entrar no canal até sentir resistência ou até à permeabilização do mesmo.
Repetir com limas K 15 e 20.
Transferir a medida da lima 15 para a lima rotatória S1 para se começar a instrumentar os 2/3 coronários do canal.
Irrigar o canal com NaOCl.
Após o trabalho das limas manuais os 3 ou 4 milimetros apicais da lima S1 devem estar soltos dentro do canal.

Programa-se o motor de endodontia mecanizada para 300 rpm e começa-se a instrumentar com a S1 usando movimento de pincelar no movimento para fora do canal e para longe da furca ( firm brushing outstroke action ) até atingir o comprimento da lima 15. Usar movimentos em "câmara lenta" de 4mm de amplitude.
Não se deverão observar detritos na porçao apical da S1.

Repetir o procedimento para S2, usando-a um pouco mais curta que S1.

Instrumentar o 1/3 apical:

Continuando sempre a irrigar com NaOCl entre cada lima, levar a S1 ao comprimento de trabalho usando sempre o mesmo movimento de pincelar para longe da furca.

Manualmente inserir a S2 após o trabalho da S1. A S2 não deve ter mais que 2 mm de trabalho a realizar, caso contrário o trabalho realizado pela S1 foi incorrecto ou insuficiente.

Usar a S2 no motor seguindo os mesmos passos de S1. Realizar movimentos de pincelar.

Confirmar o comprimento de trabalho com a S2 e um localizador apical.

Finalizar a instrumentação. Juntar o 1/3 apical aos 2/3 coronários:

Deixar cair a F1 no canal passivamente.
Após um correcto trabalho da S1 e S2, a F1 não deverá ter mais do que 2mm de trabalho a realizar.
Após comprovação disso monta-se a F1 no motor e leva-se ao comprimento de trabalho sem pressão vertical. NÃO se realiza movimentos de pincelar ao tirar a lima do canal.

A seguir à F1, insere-se uma lima K 20 no canal. Se a lima chega ao comprimento de trabalho sem o trespassar mesmo após ligeira pressão apical, então terminámos a nossa instrumentação e temos um diâmetro apical de 20.

Assim sendo usa-se a F2 0.5mm mais curta que o comprimento de trabalho
E usa-se a F3 1mm mais curta que o comprimento de trabalho.
As F2 e F3 nunca devem ter mais que 2mm de trabalho a realizar após F1.

Se a lima 20 K trespassa o apéx então insere-se uma lima K 25. Se esta já não trespassa o canal então é este o diâmetro apical.
Usa-se a lima F2 ao comprimento de trabalho, seguida da F3 1mm mais curta que o comprimento de trabalho.

Nota: Irrigar sempre entre cada lima com NaOCl.

posted by Kabum | 10:38 da manhã

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home